Sejam bem-vindos(as) e sintam-se convidados(as) a participar do blog Filósofo dos Livros com sugestões, comentários, críticas, dúvidas, compartilhamentos ou só com um “oizinho” de vez em quando!

quinta-feira, 7 de maio de 2015

"Lady Susan" de Jane Austen

Um dia, eu assisti um filme intitulado de "O Clube de Leitura de Jane Austen". O filme mostrava um grupo de 6 pessoas que se reuniam para discutir as obras da autora. No desenrolar do filme, os personagens viviam cenas em comum com a vida das personagens relatadas pela escritora.
Nunca tinha lido nada de Jane Austen e confesso que fiquei "boiando" com algumas cenas do filme pelo fato de não conhecê-la. Para captar melhor a essência do filme e certos dramas é necessário ter um certo conhecimento da obra. Como o filme me agradou muito e achei bem interessante certas temáticas, resolvi que leria os livros dela.
Pesquisando na internet, descobri que existem vários filmes e minisséries sobre os livros dela. Acabei assistindo de cara as minisséries "Emma" e "Orgulho e Preconceito".
Acabei me apaixonando mais pelas histórias criadas por ela e comprei os dois livros referentes as minisséries assistidas. Eu amei os dois livros. Eu sei que filmes e minisséries não podem relatar tudo que está na obra e não vejo problema nisso. Filmes e minisséries tem que adaptar. Só não gosto quando roteiristas criam cenas que não existem nas obras. Isso é errado para mim. No caso das minisséries, os roteiristas cortaram cenas, porém não criaram nada além do que está escrito. Então, deu para ter uma ideia super legal a respeito do que Jane Austen queria retratar.
Resolvi que iria comprar as 4 obras que me faltavam: "Razão e Sensibilidade", "Mansfield Park", "Persuasão" e "A Abadia de Northanger". Sabia que não teria dinheiro para comprar todas, Então vou comprando aos poucos. Fui a livraria para escolher. Iria decidir na hora. Gosto de ver as capas, diagramação, etc. Se o livro tiver uma edição de capa dura é melhor.
Quando me dirigi a prateleira onde estavam os livros de Jane, havia um livro chamado "Lady Susan". Fiquei olhando para o livro e não acreditava, pois já havia pesquisado os nomes das 6 obras dela e não tinha nenhum com esse título. Mas aquele livro me chamou a atenção de uma forma impressionante. Não sei explicar o porquê.
Descobri que o rapaz da livraria que me atendeu também era fã da Jane. E ele me explicou que esse romance foi escrito por ela na fase de adolescência e que nunca recebeu tanta atenção por parte dos leitores de Jane Austen.
Resolvi comprar essa edição de capa dura. Ainda não terminei de ler a obra, mas estou fascinado. Quando cheguei em casa, a primeira coisa que descobri é que o livro é feito em forma epistolar. Pesquisei na internet e descobri que na época de Jane Austen era comum escrever os livros em forma de cartas. Nessa hora, pensei que o livro seria chato, pois ele é feito totalmente em forma de correspondências.
Mas me surpreendi, pois é maravilhoso esse estilo. Jane Austen por meio das correspondências de Lady Susan com outras pessoas e também dessas pessoas com outras, descreve a história. Ler uma narrativa por meio de cartas é algo realmente legal. Você lê uma carta e pensa que a história é de um jeito. Daqui a pouco, outra carta, mostra que não é bem daquele jeito. 
Por meio das cartas, vemos sinceridade da parte de alguns personagens e falsidade da parte de outros. Mas a falsidade está naquilo que elas fazem fora das cartas. É interessante que ninguém mente dentro dessas cartas, mas contam as mentiras que fazem fora. A história vai mudando em nossa mente pelo fato de que mesmo não mentindo, as pessoas cometem enganos. Então, uma carta acaba corrigindo o engano da outra. Isso é delicioso. Eu me senti como se estivesse fazendo uma investigação, pois em cada carta acabo vendo a história de um jeito.
Outra coisa bem interessante é que achei Jane Austen mais inteligente do que eu realmente pensava. Como uma adolescente consegue descrever tão bem uma mulher adulta de 30 anos!
Lady Susan é uma viúva de 30 anos. O livro deixa bem claro que para os padrões da época, ele já era considerada velha. Porém, Susan é linda e aparenta ter 25 anos. Não é uma mulher honesta, Trata-se se de uma coquete, ou seja, uma mulher bonita e oferecida. Coquete seria uma espécie de piriguete. Só que coquete é uma piriguete sofisticada. O livro não faz uso de palavreados vulgares. Jane Austen é bem requintada em suas descrições, mesmo quando as personagens de seus livros tem atitudes não tão corretas.
Susan só tem uma amiga de verdade que é Alicia. Os demais personagens sabem da falsidade dela, mas exercem um certo fascínio pela personagem principal e alguns acabam se deixando enganar por ela.
Não terminei o livro todo, mas estava louco para compartilhar com vocês essa história que estou amando. Se vocês puderem ler, essa é uma leitura que recomendo.
Bem, eu pretendo ainda comprar as demais obras de Jane Austen e ainda outras que descobri que existem chamadas de "Obras Inacabadas" (livros que ela não terminou) e "Jack & Alice". Dessa forma, eu completo minha coleção com todos os livros da autora.

Um comentário:

  1. Nossa eu também assisti esse filme e como você eu gostei muito ( novidade, todo mundo que gosta de ler gosta do filme) e como você também, fiquei com muita vontade de ler os livros dela... você tem uma indicação de por onde eu começar??

    ResponderExcluir

Seu comentário é importante para mim.
Deixe sua opinião, pois vou amar saber o que você pensa!