Sejam bem-vindos(as) e sintam-se convidados(as) a participar do blog Filósofo dos Livros com sugestões, comentários, críticas, dúvidas, compartilhamentos ou só com um “oizinho” de vez em quando!

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Entrevista com a escritora Juliana Leite

Uma Escritora Fantástica
Tive a oportunidade de conhecer a inteligentíssima escritora Juliana Leite através do Facebook. Através desse contato formamos parceria e recebi o livro Kiara que é o primeiro volume da Saga Entre Vidas. Através da leitura do livro, confirmei que Juliana Leite é inteligente e bastante criativa. O seu livro foi muito além de todas minhas expectativas e já tem resenha no blog, clique aqui e confira.
Percebendo o talento dessa escritora brasileira, resolvi fazer uma entrevista com ela para que vocês possam conhecê-la melhor. O resultado da entrevista vocês podem conferir nas linhas abaixo:

Entrevista
- Filósofo dos Livros: Olá Juliana! Muito Obrigado por aceitar me conceder essa entrevista. Inicialmente, farei algumas perguntas que tradicionalmente faço aos escritores. Depois passarei para perguntas específicas em relação à sua obra. A primeira pergunta é a seguinte: Como surgiu seu interesse pela leitura e o que a levou a querer escrever? 
Com 12 anos ganhei 
Harry Potter...
          
- Juliana Leite: Antes a leitura era apenas 'algo chato que era obrigada a fazer por causa da escola'. Mas eu sempre amei histórias contadas através de filmes. Foi então que com 12 anos ganhei Harry Potter e a câmara secreta e realmente acho que mudou minha vida. Livros pela primeira vez eram legais ao meus olhos. E ai não parei mais de ler. Até cursar Letras acabei cursando, muito por causa de literatura inglesa.

- Filósofo dos Livros: Quais são seus escritores prediletos? Por quê? 
- Juliana Leite: Jane Austen, pelo ícones que ela criou naquela época. A sua escrita não muito detalhada, suas personagens fortes e personagens que até hoje provocam o os leitores como o Mr. Darcy. E a J.K Rowling, que quebrou com todos paradigmas que se esperava de uma escritora. Personagens marcantes, e um mundo incrível e crível ao mesmo tempo. E amo a narrativa em terceira pessoa focada em um personagem. 

- Filósofo dos Livros: Percebo que os brasileiros consomem mais Literatura Estrangeira e deixam de lado a Literatura Nacional. Na sua opinião, isso é realmente preconceito, ou nossos escritores ainda não desenvolveram livros interessantes a ponto de satisfazer nosso público?
- Juliana Leite: Primeiro existe um preconceito sim. Mas esse preconceito é alimentado pela acadêmia. Livros de fantasia, por exemplo, não são bem vistos pela acadêmia e vistos como literatura de terceira. Os futuros professores de português saem da faculdade com esse tipo de pensamento e aí o resultado são clássicos da literatura brasileira passados para crianças que dificilmente teriam interesse por aqueles assuntos. Outro problema, os livros estrangeiros que chegam aqui já possuem todo um marketing por trás, distribuição em grandes livrarias, fica difícil concorrer direto com eles. De forma alguma é uma questão de qualidade. Mas vejo que bem aos poucos as coisas estão mudando. Lembro que quando eu era adolescente havia um ou dois autores brasileiros fazendo coisas para jovens. Hoje já são inúmeros. 

- Filósofo dos Livros: Você acredita que é possível viver a partir da carreira de escritor no Brasil? Ou os escritores devem exercer outra profissão para garantir o seu sustento? 
- Juliana Leite: De forma alguma. Todos autores que conheço que possuem sucesso, possuem outras profissões. Como jornalistas, vlogueiros, palestrantes. Viver apenas de livro é utópico.

Adorei sua linguagem ....
- Filósofo dos Livros: Acabei de ler Kiara que é o primeiro volume da Saga Entre Vidas. Adorei sua linguagem e principalmente a sonoridade da narrativa. Não sei exatamente como lhe explicar, mas o livro parece ter uma musicalidade na escolha das palavras. Você teve essa intenção ou é algo que aconteceu de forma espontânea? 
- Juliana Leite: Acho que foi espontâneo. Na verdade nem gosto muito da minha narrativa. Mas acho que vou mudar de opinião com suas palavras. 

- Filósofo dos Livros: Resumidamente, fale para nossos leitores a respeito do que eles encontrarão na Saga Entre Vidas
- Juliana Leite: Muita aventura e batalhas, muito romance, fantasia e um pouco sobre algumas religiões e culturas. 

Capa do livro Kiara
- Filósofo dos Livros: Lendo Kiara, percebo que você deu destaques para alguns temas. Um deles é o papel da mulher. O personagen Dárien treina Kiara e para testar se ela está preparada para uma luta propõe um duelo. Kiara vence (creio que isso não seja spoiler) e Dárien fica espantado por perder para uma garota. Você acha que em nossa atualidade, os homens ficam envergonhados quando uma mulher é melhor sucedida do que eles? 
- Juliana Leite: Ainda assim ficariam. Em Kiara estamos falando de uma sociedade ainda muito bruta e machista. Apesar de tentarmos mostrar que Atlântida possuía uma civilização um pouco mais evoluída que as outras. Sem falar que depois entendemos muito dos problemas que Dárien possuia. 

- Filósofo dos Livros: O livro traz referência a um tema religioso que é a Reencarnação. Você é uma pessoa religiosa? Acredita na reencarnação? Tem fé em algumas crenças? 
- Juliana Leite: Penso muito sobre religião, estudo muito sobre religiões desde muito nova. Mas não possuo nenhuma específica. Mas sim, acredito em reencarnação

As 4 Reencarnações da Protagonista do livro
- Filósofo dos Livros: Recentemente, vimos a novela Além do Tempo na Rede Globo que trabalhou o tema da Reencarnação. Estranhamente, os personagens voltaram reencarnados com a mesma aparência e mesmo nome, embora alguns tiveram relações de parentesco e amizades diferentes. O que você achou disso? Qual é a diferença do tema Reencarnação abordado no seu livro e na novela? 
- Juliana Leite: Bem, mesmo a autora da novela sendo espírita acredito que tenham escolhido os mesmos atores para facilitar a identificação do público. A novela tinha um 'espiritismo facilitado' digamos assim. Já meu livro é uma fantasia, e a religião usada para justificar as reencarnações é a dos antigos celtas misturada com wicca. Apesar de citarmos o espiritismo no último livro, o foco da nossa saga não é o da doutrina cristã. 

- Filósofo dos Livros: A próxima pergunta que farei, já tenho uma resposta. Porém, acredito que ela seja necessária para esclarecer algumas coisas aos nossos leitores e evitar confusões desnecessárias futuramente. Você teme que sua história possa ser comparada a Novela Além do Tempo e que futuros leitores lhe acusem de plágio? Sei que não, mas esclareça isso aos nossos leitores. 
- Juliana Leite: Não temo. Primeiro, Kiara foi escrito entre 2005 e 2006. Segundo, toda saga estava postada no site Nyah! Em 2014. E terceiro, reencarnação é um tema muito usado na literatura. 

- Filósofo dos Livros: O respeito às religiões é um tema trabalhado em sua saga. Por que você resolveu abordar esse assunto? 
- Juliana Leite: É um tema recorrente, principalmente no terceiro livro. Não foi algo planejado, mas por ser algo tão forte e presente na minha vida acabou influenciando a história. E acaba que hoje com a crescente intolerância religiosa em nosso país, acho que é algo que cabe no momento. 

- Filósofo dos Livros: A Saga Entre Vidas termina com Justine em 1890. Nunca lhe passou a ideia de criar um quinto livro com os personagens vivendo em nossa época atual? 
- Juliana Leite: Não. Entre Vidas foi criado para ter seu final no século 19. Mas nada impede de termos algumas obras no mesmo universo. 

- Filósofo dos Livros: As perguntas que não querem calar são as seguintes: Quantas vidas são necessárias para uma alma cumprir o seu destino? O que aconteceu quando uma alma cumpre o seu papel, mas aquelas que a cercam não tem o mesmo grau de evolução? Você acha que as almas deixam de voltar? 
- Juliana Leite: Vou responder de acordo com as coisas em que acredito. Não existe apenas um objetivo a ser cumprido. A evolução é contínua. São inúmeras moradas, então se ela já está num grau de evolução maior que nós, haverá outros lugares para os quais elas podem ser úteis. A ideia de paraíso eterno, com um bocado de gente vendo o tempo passar não faz sentido, pelo menos para mim. Já na ultima parte de Entre Vidas, trabalhamos algumas dessas questões, mas ainda no âmbito na fantasia e não da religião espírita. 

- Filósofo dos Livros: Teria inúmeras perguntas para lhe fazer. Mas deixarei para uma próxima ocasião. Peço que deixe uma mensagem para nossos leitores. 
- Juliana Leite: Espero que gostem da saga, divirtam-se com os personagens que tanto amo. E deem chance para os autores brasileiros contemporâneos. Tem muita coisa legal por aí. 

- Filósofo dos Livros: Mais uma vez, eu agradeço pela entrevista. 
- Juliana Leite: Eu que agradeço.

Vocês podem comprar o livro diretamente com a escritora, clicando aqui ou pelo site, clicando aqui.
Gostaram da entrevista? Deixe sua opinião nos comentários!!!

8 comentários:

  1. Adorei a entrevista com a Juliana! Parabéns Fernando.

    ResponderExcluir
  2. Olá Fernando, amei a sua entrevista, parabéns.

    Cara, essa autora ganhou minha total admiração a partir do momento que ela falou em Harry Potter (menina de bom gosto).heheheheheh

    Adorei, ficou perfeita.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, já que admira, adquira o livro dela!!
      Sua admiração irá aumentar!!!!
      Abraços!!!

      Excluir
  3. A autora está de parabéns. Sua entrevista esta maravilhosa!!!

    ResponderExcluir
  4. Parabéns a autora e muito sucesso, uma simpatia ela.

    Sua entrevista foi maravilhosa, muito bom, Fernando.

    Forte abraço.

    ResponderExcluir

Seu comentário é importante para mim.
Deixe sua opinião, pois vou amar saber o que você pensa!