Sejam bem-vindos(as) e sintam-se convidados(as) a participar do blog Filósofo dos Livros com sugestões, comentários, críticas, dúvidas, compartilhamentos ou só com um “oizinho” de vez em quando!

sábado, 16 de abril de 2016

Resenha: Treze, de Duda Falcão, Argonautas e AVEC Editora


Olá Queridos Amigos!
Hoje, eu trago para vocês a resenha de um livro de terror. Antes de mais nada, confesso que não experimentei medo algum ao ler a obra. Isso pode soar estranho, então cabe uma explicação.
Os livros de terror não precisam necessariamente assustar o leitor. Eles são terror, porque suas personagens enlouquecem ou experimentam o pavor. O medo é algo dado aos seres humanos que habitam suas páginas.
O livro da resenha desta postagem é Treze, de Duda Falcão, publicação da Argonautas e AVEC Editora. Recebi a obra em parceria com a AVEC e com o autor.
Pretendo mostrar a vocês o porquê desse opúsculo ser tão maravilhoso. A primeira coisa que nos chama a atenção é a capa que nos lembra as pulp fictions do passado.

Capa Horripilante!!!

A diagramação  do livro está perfeita. Vejam!

Trabalho Perfeito!!!
Olhem o Anfitrião!
"Não sou aceito no Além!!!"
Vejam no vídeo, o detalhe da aranha se mexendo.


Vamos analisar o título do livro. O nome Treze não é somente, porque há treze contos de terror. A escolha foi dada pelo seu simbolismo. Treze é um número de azar. Na Santa Ceia, havia 13 pessoas e a 13ª era Judas Iscariotes, o traidor.
Prossigamos com os contos. Neles encontramos grandes referências literárias do terror. Por exemplo, o macabro encontrado no livro é influência de Edgar Allan Poe. O terror cósmico é fruto do escritor H.P. Lovecraft. A influência pulp é representada pelo policial, o faroeste que encontramos nos contos.
A narrativa impecável e bem construída do autor destaca-se pela inteligência. Em todos os contos, encontrei excelentes reflexões Parece-me que o Duda não escreveu de forma ingênua. Ele teve a intenção de colocar mensagens em cada um de seus contos.
Percebemos que o autor se arriscou. Ele inovou para não cair em algo clichê. Afinal, a leitura deve causar um certo estranhamento para o leitor, levá-lo a pensar.
É visível que o autor pretendeu quebrar paradigmas, um exemplo  é o conto intitulado O Vampiro Cristão. Na minha opinião, esse é o melhor conto do livro. Vemos um vampiro que ora e exorciza demônios. Uma frase desse conto que me chamou bastante atenção é: "A morte é melhor do que a escravidão." Ela representa o pensamento arcaico de uma Igreja Inquisidora, que sacrificava a vida de seus fiéis em troca de uma suposta salvação.
As histórias não são tão díspares. Percebi que Duda manteve uma certa linha em seus contos. Volto a questão do número Treze que nos lembra superstição. É notória a presença de objetos supersticiosos em muitos contos do livro. O último conto chamado Treze é carregado desses simbolismos supersticiosos. Inclusive, o protagonista é o 13º filho de um casal. É como se ele fosse a encarnação de diversas maldições. A leitura dos contos é extremamente agradável. Em pouco tempo, você devora o livro e fica com aquele gostinho de quero mais.
E já que a gente falou em azar, eu diria a você que o grande azar seu é não ler a obra. Adquira o seu exemplar, clicando aqui. Eu não quero ver ninguém azarado.
Para finalizar, quero dizer que apreciei a presença do Anfitrião que nos convida a entrar nos mistérios do livro e também de um certo corvo que conduz o caminho dos personagens em alguns contos.


Amei tanto o livro que classifiquei com CINCO ESTRELAS no Skoob.
Seria uma gafe enorme terminar essa resenha sem mencionar que o prefácio do livro está deslumbrante e foi escrito por Marco Aurélio Lucchetti, filho de Rubens Francisco Lucchetti, o Papa da Pulp Fiction.
Espero que vocês tenham gostado dessa resenha. Comente e compartilhe com os amigos
Abraços e até a próxima postagem.

12 comentários:

  1. Meu amigo querido adoro suas resenhas. essa ficou show adoreiiiiii

    ResponderExcluir
  2. Belíssima resenha em video Fernando. Forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado, meu amigo.
      Abração!

      Excluir
  3. Nando amei sua resenha. O livro é muito caprichado ficou lindo, os contos são macabros. Estou cada vez mais adorando este gênero de livro muito bom. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é estupendo, minha querida.
      Abração!

      Excluir
  4. Resenha maravilhosa, como sempre! Parabéns

    ResponderExcluir
  5. Resenha maravilhosa, como sempre! Parabéns

    ResponderExcluir
  6. Fernando! Realmente arrasou com essa resenha!
    Seu canal e blog são maravilhosooos!!! Acompanho eles desde sempre e até hoje fico compulsivamente visitando-os!
    Espero que venham mais e mais resenhas por aí ;)
    Beijos! Amo seu blog, e seu canal <3

    ResponderExcluir

Seu comentário é importante para mim.
Deixe sua opinião, pois vou amar saber o que você pensa!