Sejam bem-vindos(as) e sintam-se convidados(as) a participar do blog Filósofo dos Livros com sugestões, comentários, críticas, dúvidas, compartilhamentos ou só com um “oizinho” de vez em quando!

terça-feira, 31 de maio de 2016

Resenha: "Mãos Livres", de Francine S. C. Camargo, Chiado Editora

Olá, Amigos do Coração!
Venho trazer mais uma bela resenha. Essa tem um sentimento especial, pois carrega a marca do coração. No início do livro "Mãos Livres", de Francine S. C. Camargo, publicado pela Chiado Editora, encontrei um trecho que me chamou a atenção:

"Sou o que consta em cada linha aqui publicada. Acho que isso basta para me conhecer, pois todo o resto são fatos."

A Autora Francine e sua obra "Mãos Livres"
Um pequeno trecho puro e verdadeiro. Poderia encerrar a resenha aqui e dizer: "O livro é isso. A obra é a alma de Francine".
As pessoas mais sensíveis e intuitivas entenderiam tudo o que é necessário para a compreensão do livro. Algumas mais dotadas de um dom perceptivo compreenderiam, porque havia concluído a resenha naquele ponto.
Seres humanos dotados de coração saberiam que me tornei fã não somente da escritora, mas de sua personalidade como um todo. Intuiriam que passei a sentir inveja de todos aqueles que podem desfrutar de sua companhia. Perceberiam que tenho como desejo a vontade louca de escutar sua voz ao falar coisas do coração. Descobririam que seu livro tem o dom de gerar diálogos de almas. E correriam para adquirir um exemplar da obra, e, após a leitura, as pessoas suplicariam por "Mãos Livres 2". Ajoelhariam diante da autora e rogariam por um novo livro nesse estilo.
Lombada do livro
Francine deixou seu coração falar e somente os ouvidos do coração podem captar o sentido de sua escrita.
"Mãos Livres" é a obra que me fez rir e chorar ao mesmo tempo. Alguns textos tocaram em feridas profundas de minha alma. O primeiro toque inadvertido causou-me dores profundas. Mesmo mãos macias causam dor, quando tocam em feridas abertas. Depois, seus toques milagrosos trouxeram-me a cura.
Contracapa da obra
Francine é médica pediatra. Trabalha com a cura de pacientes mirins. Sua obra fez-me entender sua missão. A pediatra tem o dom de curar aqueles que são eternas crianças nesse mundo. Eu sou um leitor que se enquadra nessa categoria. 
Talvez, pessoas frias desaprovem o livro e falem dele com clichês preconceituosos. Mas creio que se abrirem o coração para o opúsculo, o gelo pode derreter.
Em "Mãos Livres", encontrei uma obra cuja possibilidade de falar sobre ela é usando o coração. Coração, coração, coração... palavrinha mágica que se repete para explicar a obra de Francine.
Na sinopse da obra, encontramos:

"Mãos livres reúne contos e crônicas da autora, com uma escrita poética e fabulizada".

Os textos dispostos de forma fragmentada e não linear não devem ser compreendidos dessa maneira. Ao ter contato com eles, o leitor deve uni-los e perceber uma linha. É a vida de Francine que se expõe. O magnânimo  é que essa vida serve de espelho para seus leitores.

"Posso provocar-te dor ou sentir a que já carregas, mas saberei que é tua. Posso desfazer-me das fichas, avental e agradecimentos e voltar pra minha vida inevitavelmente mortal, mas preciso, mesmo que por alguns segundos, olhar-me no espelho e ver-te, assim talvez eu descubra quem tu és."

Livro com dedicatória e autógrafo
Eu me olhei nesse espelho e descobri quem eu sou. Aliás, seria melhor dizer que encontrei diversos espelhos e uni as imagens em um só:
- Em "Chega de Fadas", vi a presença paterna que se espanta com a maturidade de seu filho;
- "A história da Aboborolândia" levou-me a refletir sobre a importância do diálogo interior que é perdido com o passar dos anos;
- Li "Dia do Pai", em 30 de maio, data que meu pai completaria 80 anos; e, por esse motivo, chorei;
- O texto "Fuga... fugaz... fullgas" causou-me risos por me lembrar que costumava cantar sozinho nos ônibus da vida;
- "Eu te amo" é uma doce reflexão sobre quando devemos pronunciar essa frase;
- "Três anos ou os ensinamentos de uma alma antiga". Que texto lindo! Trata do aprendizado materno com seu filho;
Recebi um lindo Marcador
- "Mãos Livres" é o texto que intitula o livro. Sobre esse entrecho, deixo uma dica: "Reflita o que é a sacola em sua vida";
- Em "Todo temos aquele amigo" destaco essa parte:
"De amigo, exige-se atenção, ninguém quer migalha, farelinho, último gole.";
- Em "Pequena Menina", encontrei um sábio conselho que também pode ser aplicado aos meninos:
"Não cresça agora, nem amanhã. Deixe isso para bem depois no nosso faz de conta. Porque você ser tão pequenina me ajuda a sonhar, porque seus braços apertados por sobre mim congelam os ponteiros, não há tempo que seja capaz de nos desobedecer, por segundos. E é tudo que que quero, pequena luz.";
- "Colo de Mãe" relata o sofrimento materno diante da visão de sua filha doente no hospital. Derramei lágrimas com essa narrativa;
- "A Revolução dos Livros" é um texto magnífico. Não darei detalhe algum sobre suas linhas. Apenas deixo a recomendação para que leiam. A experiência será profícua.

A Chiado Editora está de parabéns!
"Mãos Livres" traz 26 textos. Escolhi alguns para falar. Espero que tenham gostado de minhas escolhas, porém recomendo que leiam a obra e façam as suas.
Na apresentação do livro, encontramos: 

"Carrego paixão em tudo que faço. A máxima da minha vida é: 'se não der vontade de fazer xixi na calça de tanta emoção, não vale a pena'. E sigo assim, trançando as pernas."

Querida Francine e amigos leitores, eu molhei minhas calças. Frente a beleza da obra, CINCO ESTRELAS no Skoob


Adquira o seu exemplar, clicando na figura abaixo:


Conheçam o blog "Papo de Fran" da autora, clicando aqui.
Compartilhem com seus amigos esse post e não deixem de comentar. Mantenham as "Mãos Livres" e o coração aberto. Caminhemos juntos e permaneçamos unidos. 
Beijo no coração!

P.S.: As pessoas querem novidades, novidades sempre. E nem percebem que esse ato humano é que as condenam a solidão. Nenhum ser humano é novidade sempre.

8 comentários:

  1. A delicadeza e ternura dessa resenha me fez reviver o quanto o ser humano tem amor no coração. Pena que nos dias atuais está cada vez mais raro vemos o amor e o respeito entre as pessoas. Parabéns a Francine pela obra tão terna e reflexiva que traz o que o ser humano tem de melhor, o amor! Resenha magnifica Fernando, assim como a obra da Francine. Forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Luciano.
      Essa é outra obra que tenho certeza de que você adoraria conhecer.
      Abraços!!!

      Excluir
  2. Puxa...trancei, trancei as pernas por aqui para tentar segurar, mas não deu certo...o xixi escapou quando terminei de ler a resenha! Hehehehe

    ResponderExcluir
  3. ha ha ha!!!
    Ri muito com o comentário.
    Super feliz em saber que você gostou!!!
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  4. Parece muito bom, a resenha ta incrível!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, amigo!!!
      Fiquei muito feliz com sua visita!!!

      Excluir
  5. Essa resenha me deixou curioso quanto a obra, percebo que nos transmite um misto de emoções e nos envolve em seu enredo. Aparenta tocar nos nossos sentimentos mais profundos e ocultos, fazendo-nos participar dos textos e nos transmitindo sua real mensagem..
    Achei muitíssimo interessante e despertou-me a vontade de conhece-la, e também me deliciar com suas narrativas...

    ResponderExcluir

Seu comentário é importante para mim.
Deixe sua opinião, pois vou amar saber o que você pensa!