Sejam bem-vindos(as) e sintam-se convidados(as) a participar do blog Filósofo dos Livros com sugestões, comentários, críticas, dúvidas, compartilhamentos ou só com um “oizinho” de vez em quando!

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Filme Misery

Olá, Galera!!!
Acabei de assistir ao filme Misery, conhecido no Brasil como Louca Obsessão. A obra cinematográfica é uma adaptação do livro Misery, de Stephen King.
O enredo é super tenso, fazendo-nos arrepiar. Dizem que o livro é sempre melhor que o filme. Se for esse o caso, a obra Misery pode ser classificada como perfeita.
No filme, vemos a história do escritor Paul Sheldon que sofre um acidente em uma região isolada. Logo, ele é socorrido por uma ex-enfermeira chamada Annie Wilkes que se nomeia como fã número um do autor. Annie cuida dele com imenso carinho. Transparece docilidade em suas ações. Ficamos encantados com sua conduta. Enfim, ela nos engana.
De repente, ela fica sabendo que o escritor tem um manuscrito em seu poder o qual seria levado para sua editora. Pede para lê-lo e tem uma espécie de ataque, pois não gosta do rumo dos fatos. Aos poucos, vamos percebendo que a ex-enfermeira não é tão doce assim. Mas a certeza vem mesmo, quando ela compra o último volume da série Misery e descobre que a protagonista do livro morre. Annie não aceita o destino de Misery, e passa a exigir de Sheldon que ele escreva uma nova história intitulada de "O retorno de Misery".
A partir daí, o filme ganha uma dimensão violenta incrível, misturando terror com leves toques de humor macabro. A ex-enfermeira Annie comporta-se mesclando docilidade com crueldade. Algumas cenas causam risos, outras nos amedrontam. Kathy Bates foi inegavelmente a melhor escolha para o papel de Annie Wilkes, inclusive ganhou Oscar de melhor atriz por essa interpretação no ano de 1991.
Os minutos que antecedem o término do filme são extremamente cruéis e nojentos. Entretanto, o final mesmo é bem humorado com um toque de sarcasmo. Gosto de filmes com essas características, onde os vilões ou vilãs trazem uma personalidade que nos faz rir, chorar, sentir raiva e até amá-los. Annie Wilkes desperta uma gama imensa de sentimentos no telespectador.
A película é tão encantadora (?) que nos faz desejar ler o livro de King imediatamente. Não posso dar mais detalhes do enredo para evitar spoilers, porém posso confirmar a perfeição da história. É de tirar o fôlego.
E vocês? Já assistiram ao filme ou leram o livro? Respondam nos comentários, por favor.
Abraços e até a próxima postagem.

4 comentários:

  1. Já havia ouvido falar nesse filme. E agora que ele foi aprovado por você vou colocá-lo na minha lista de desejos para setembro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coloque o livro e o filme. Tenho certeza de que você não irá se arrepender.

      Excluir
  2. Eu já assisti, Fer! \o E por sinal, AMEI! S2 Ele é tudo isso que você falou e um pouco mais. A propósito, tem uma cena que me deixou nos nervos. Agora tenho muita vontade de ler o livro. Ah, a Kathy Bates é fodástica em qualquer papel. Aliás, tem um drama que ela atuou anos atrás, chamado "Tomates Verdes Fritos", que fez com que eu me tornasse fã dela. o/

    Abraçossssss

    Simone Pesci
    http://simonepesci.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredita que ainda não assisti à "Tomates Verdes Fritos"?
      Preciso vê-lo. Imagino qual seja a cena que mexeu com seus nervos. Não comentei sobre ela para não estragar a surpresa do leitor, mas a coisa é bem cruel.
      Obrigado por se fazer presente no blog.
      Abraços!!!

      Excluir

Seu comentário é importante para mim.
Deixe sua opinião, pois vou amar saber o que você pensa!