Sejam bem-vindos(as) e sintam-se convidados(as) a participar do blog Filósofo dos Livros com sugestões, comentários, críticas, dúvidas, compartilhamentos ou só com um “oizinho” de vez em quando!

sábado, 6 de agosto de 2016

Resenha: Etéreo, de Allison RdS, Editora PenDragon

Olá, Galera!
Terminada a leitura de Etéreo, de Allison RdS, publicado pela Editora PenDragon, encontro-me em puro êxtase. A obra levou-me a pensar como a maioria dos leitores brasileiros é injusta ao descartar a possibilidade de ler os nacionais. O autor em questão não deixa nada a desejar quando comparado aos grandes escritores estrangeiros. Aliás, eu vejo que nosso escritor supera a muitos por meio de sua escrita fabulosa.
Linda lombada!
Sinto-me um grande privilegiado por ter lido um livro espetacular. Ao mesmo tempo, encontro-me triste por saber que muitas pessoas não terão essa sorte. O pior de tudo é saber que tal vantagem não ocorrerá, porque elas mesmas não se permitem conceder o devido apreço aos nossos autores.
Lindíssima Contracapa!
Por se tratar de um livro que trabalha com a Mitologia Egípcia, posso afirmar que a deusa Ísis foi favorável a minha pessoa e induziu o Allison a firmar parceria comigo. Eu necessitava experimentar um enredo fascinante como esse. Até agora, encontro-me sem fôlego e estou estupefato com a habilidade do rapaz.
Allison reuniu elementos fictícios e reais para compor sua trama. A união perfeita estabeleceu uma obra com ares de cinema. Diga-se de passagem, que parece até um filme 3D. É como se os personagens pulassem das páginas para o nosso mundo e pudéssemos tocá-los.
Orelha de capa dando detalhes do enredo.
Recentemente, aprendi com o próprio autor a diferença entre Alta e Baixa Fantasia. Acreditei que o adjetivo Alta configurasse uma qualidade maior à narrativa, mas lendo Etéreo que se qualifica como Baixa Fantasia, percebo que tal subgênero é infinitamente superior pelo fato de se aproximar da nossa realidade e parecer algo mais crível. Além de elaborar um enredo fascinante, apreciei demais a forma com que o autor contou os fatos. Muitos autores não trazem boas tramas, mas sabem contá-las de maneira atraente. Outros trazem enredos espetaculares, porém seu estilo narrativo pouco favorece o entrecho. Allison reúne uma história magnânima com um jeito surpreendente de contar as situações ali presentes
Biografia do autor na orelha da contracapa.
Dificilmente, alguém proferirá uma crítica negativa ao opúsculo, a não ser que esteja tomado de inveja ao talento do rapaz. Os capítulos da obra são divididos em diversos fragmentos que alternam personagens, cenários e fatos. Cada subdivisão é muito bem narrada nos levando a uma compreensão perfeita do que ocorre em cada cena; entretanto, embora o entendimento daquilo que ocorre traga a marca da perfeição, fica a pergunta sobre o porquê do acontecimento. Basicamente, a malha narrativa nos fala da perseguição que Darius, um general do exército persa e de Iaret, uma poderosa sacerdotisa egípcia, sofrem ao longo de diversos séculos. Ambos são caçados por Naviid e Layla, dois antigos inimigos desejosos de alcançar os conhecimentos e os poderes do deus escriba Toth.
Detalhe da diagramação.
Posso afirmar que as subdivisões dos capítulos servem como pistas para desvendar um grande enigma. Penso que o ponto alto da trama é juntar os sinais para entender o porquê de tais perseguições. As cenas são fortes em sua maioria, trazendo uma boa dose de violência. O autor não suavizou a selvageria, desvelando todas as atrocidades dos seres humanos. Evidente que, sendo um livro de literatura fantástica onde alguns personagens são deuses, semideuses, feiticeiras, sacerdotisas dotados de imortalidade, poderíamos descartar o humano; entretanto, vejo que tais seres mitológicos traçam o plano simbólico dos comportamentos mais vis da humanidade. Tudo aponta para demonstrar os erros de um mundo onde as pessoas se entregam às práticas de suas barbaridades. O ritmo das cenas foram tão alucinantes (eletrizantes) que mantive meus olhos arregalados e nem consegui piscá-los.
A obra veio autografada.
A narrativa de Allison não tem o caráter proverbial. Não existem aquelas frases feitas tipo lições de vida, no entanto sua trama tão bem entrelaçada eleva nossa capacidade mental para inúmeras reflexões. Muitas vezes, tive que parar e meditar sobre as mensagens contidas nas entrelinhas. Allison não é o escritor que fornece ideias mastigadas ao seu leitor, mas ele exige que cada um pare e pense sobre os diversos problemas encontrados nos comportamentos humanos.
As reflexões advindas das ações dos personagens penetram a alma do leitor de um jeito expressivamente marcante que se notabilizam exacerbadamente dentro da história. Tais reflexões parecem se tornar novos personagens no enredo. E por falar em novos personagens, afirmo que os cenários escritos detalhadamente configuram-se como heróis ou vilões dentro de cada situação. As descrições dos ambientes são ricas e desvelam diversos contextos: pobreza, riqueza, prostituição, drogas, família, etc.
Lindo Marcador!
Outro ponto alto do livro bem observável é a evidência de que o autor pesquisou bastante a mitologia egípcia para compor sua ficção. Quando ele fala de Ísis, Osíris, Toth, pirâmides e outros planos, notamos o seu grande conhecimento a respeito do assunto. Não irei dar o fato detalhado, mas adorei uma cena onde gatos fazem parte de uma batalha como estratégia de guerra. Creio que o leitor vai se deliciar com a genialidade proposta na circunstância. Não sei a "técnica gatuna" é um fato histórico ou se nasceu da mente brilhante do autor, porém a ideia marca uma criatividade incrível de quem a criou.
Existem inúmeros pontos positivos e elogiosos dentro da obra, todavia prefiro não falar mais deles. Acredito que um bom resenhista deve sempre deixar alguns mistérios para instigar o leitor. E falando em fatos obscuros, a obra carrega muitas coisas desse tipo. Quem se propor a ler Etéreo ficará fascinado com incomensurabilidade das ações descritas. Com certeza, fará uma leitura profícua. Antes mesmo de chegar ao final do livro, já classifiquei-o com CINCO ESTRELAS no Skoob.


O autor está de parabéns pelo seu talento literário e a Editora PenDragon merece louvores pelo trabalho primoroso ao confeccionar essa edição.


Eu já sei que os Apreciadores de Literatura Fantástica comprarão a obra. Para facilitar o trabalho, cliquem na figura abaixo e adquiram o seu exemplar:


Que a poderosa Ísis, protetora da natureza e da magia, esteja com todos vocês
Abraços e até a próxima postagem.

14 comentários:

  1. Bela resenha, Fernando. Fiquei curioso. Gatos fazendo parte de uma batalha? Preciso ler esse livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os gatos fazendo parte de uma batalha é uma das melhores cenas do livro. Amei!!!!

      Excluir
  2. Resenha maravilhosa e o livro uau... estou doida pra ler. É o próximo da minha lista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho certeza de que vc não irá se arrepender, Graci!!!!

      Excluir
  3. Resenha sensacional, me sinto honrado com tantos elogios ao livro. Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fico honrado com sua presença maravilhosa aqui.
      Obrigado, meu amigo!!!

      Excluir
  4. Resenha memorável! Estou lendo Etéreo e me surpreendo a cada nova página, é uma leitura com grande fluidez, sem perceber ja li várias dezenas de páginas e os subcapítulos facilita para aqueles pequenos momentos em meio a rotina q encontramos para das uma fugidinha pra ler... Vc esta de parabéns Allison RdD pelo pelo livro!

    ResponderExcluir
  5. Eita Fernando, a pessoa já tá morrendo de vontade de ler o livro, daí lê uma resenha dessa e fica ainda mais desejoso '-'
    Ps: Adorei a capa

    ResponderExcluir
  6. O livro parece ser muito bom, estou curioso sobre a obra e querendo ler o quanto antes!

    ResponderExcluir
  7. Muito boa sua resenha rs Engraçado que acabei de comentar em um blog, que antes de eu começar meu blog, tinha muito preconceito com a literatura nacional, mal sabia eu o que estava perdendo. Aí quando comecei o blog, conheci autores nacionais e iniciantes e adivinha: Só me decepcionei com um livro que li, até o momento.

    Majestadecultural.blogspot.com ♥ Youtube.com/c/Majestadecultural

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade. Os autores brasileiros não deixam nada a desejar quando comparados aos estrangeiros.
      Muito obrigado por sua visita!!!

      Excluir

Seu comentário é importante para mim.
Deixe sua opinião, pois vou amar saber o que você pensa!