Sejam bem-vindos(as) e sintam-se convidados(as) a participar do blog Filósofo dos Livros com sugestões, comentários, críticas, dúvidas, compartilhamentos ou só com um “oizinho” de vez em quando!

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Bienal do Livro

Bom dia leitores do filósofo dos livros, tudo bem com vocês? Espero que sim... Primeiro gostaria de pedir desculpas por não ter postado a semana passada, mas tive um motivo quase surreal pra isso...

Estava no maior evento literário que um escritor pode participar, ainda acho estranho me colocar como escritor, mas agora não tenho mais escapatória do título, rsrsrs...
A 24ª Bienal Internacional de São Paulo entrou pra história, pelo menos pra mim e para todos os membros da minha guilda, a Editora PenDragon.
Além de ter sido a primeira Bienal da editora, no sábado, dia 03 de Setembro, completamos o nosso 1º ano de vida e querem saber o quanto isso significou para todos os que fazem parte da editora? Muito, mas muito, mas muito mesmo... Eu estou com os dragões guerreiros desde o Demônios Internos (uma antologia de contos de terror) que teve resenha aqui no blog e vídeo no canal do Fernando Nery. Depois disso enviei um livro original (Etéreo), que também teve resenha no canal... Entrei de cabeça para o time e me surpreendo com a qualidade não só dos livros, mas de todos os autores como pessoas e principalmente como escritores, realmente a literatura nacional tem talentos que precisam muito ser explorados, não vou citar o nome dos autores pois deixaria alguém de fora e seria muito injusto.
Cantamos parabéns e brindamos ao primeiro ano vitorioso da editora, houve discurso emocionado do Josué Matos e da Giselle Tavares, se o objetivo inicial da editora era contribuir para a melhoria da literatura nacional, estamos conseguindo com louvor e fico extremamente honrado em fazer parte desta história, apenas desse começo destruidor de história...
Eu fiquei no evento do dia 30 de Agosto até o dia 04 de Setembro e digo pra vocês com toda a certeza nunca vou esquecer, principalmente o dia 03. Tive contato com autores de diversos estilos, de diversos cantos do país e alguns estrangeiros, editores de diversos seguimentos, imprensa de todas as mídias e principalmente com os mais importantes da festa: Os leitores.
Demônios internos
A Bienal vendeu muitos livros e teve milhares de visitantes, mas isso não foi o mais importante... Os autores nacionais apresentaram aos leitores novos sonhos e eu particularmente detectei uma coisa muito importante com nossos leitores... Existe uma carência gigantesca em novos autores brasileiros, em histórias passadas no Brasil e que principalmente valorizem a nossa cultura, o nosso povo e a riqueza de relacionamentos que o brasileiro tem. Ouvi muitas frases como: Uau, seu livro se passa no Brasil? Nossa, que idéia original a do seu livro e envolve brasileiros...
Pra ter uma idéia, tiveram algumas pessoas que entraram no stand da editora só porque viram as resenhas e os vídeos no youtube que nossos parceiros fizeram e isso foi fantástico.
Pam Gonçalves, FML Pepper, Rafael Dracon e André Vianco elogiaram a qualidade dos nossos livros e isso também foi demais. Ainda mais pra um cara como eu que sou muito fã do Vianco... (Dei um livro pra ele e ele curtiu)... Era como se estivesse em um sonho ou algo assim... A Bienal foi o meu país das maravilhas por uma semana e sinto abstinência de toda aquela correria.
O aplicativo de realidade aumentada (RA) que a editora PenDragon fez, chamou a atenção de leitores, editoras e principalmente dos leitores, o Josué Matos (dragão pai) deu tantas entrevistas que no final já estava cansado, mas nunca deixou o sorriso e a simpatia saírem de cena...
Aplicativo de Realidade Aumentada
Eu também dei entrevistas, autógrafos, muitos abraços e tirei umas duzentas fotos, encontrei amigos que só conhecia pela internet e agora os admiro ainda mais, pois além de grandes escritores mostraram ser pessoas diferenciadas e o que mais me encanta nas pessoas... São humildes e carinhosas com leitores e colegas. Tivemos aulas de humildade e simpatia... O André Vianco por exemplo, eu estava ao lado da Aleph e pude observar de muito perto.
O mestre do terror ficou autografando e tirando fotos por horas a fio, incansável, sem nunca demonstrar-se impaciente e muito menos arrogante com seus leitores e isso é uma lição que todos os presentes devem levar pra toda a vida... Ainda mais observando algumas figurinhas de certos canais da internet passando pelos corredores escoltadas por dezenas de seguranças... Aff... Mas isso não importa.
Que venha a Bienal do Rio em 2017 e a de São Paulo em 2018, que tenhamos mais livros, sorrisos, abraços, fotos, autógrafos e que nos surpreendamos com todos os encontros que a vida nos proporciona! Abraços e até a próxima...


7 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Que showw Alli, realmente essa bienal foi muitooo tri, só lamentei não poder estar no mesmo findi que vc. Artigo top parabéns. <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas essa foi só a primeira Cristy, estaremos juntos nas próximas!

      Excluir
  3. Draguão pai, kkkk, adorei o artigo. A PenDragon é Show!!!

    ResponderExcluir
  4. Allison, não pude conhecê-lo pessoalmente nesta Bienal, mas ano que vem será aqui na minha casa. Rsrsrs. Que o tempo passe rápido e que venha logo. Ótimo artigo!!!

    ResponderExcluir

Seu comentário é importante para mim.
Deixe sua opinião, pois vou amar saber o que você pensa!