Sejam bem-vindos(as) e sintam-se convidados(as) a participar do blog Filósofo dos Livros com sugestões, comentários, críticas, dúvidas, compartilhamentos ou só com um “oizinho” de vez em quando!

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Meninas que desejam ser Meninos

Olá, Galera Literária!
Trago uma pequena reflexão. O livro A Bolsa Amarela, de Lygia Bojunga, foi publicado pela primeira vez em 1976. Li a obra nos anos 80. Não me lembrava mais do enredo, mas tinha a lembrança do prazer que a leitura me proporcionou. 
Resolvi reler, e acredito que, no passado, não tive a mesma visão de agora. O opúsculo é considerado como Literatura Infantojuvenil, entretanto percebo a maturidade da escrita. Penso que uma criança vá gostar da leitura, todavia não vai captar as grandes lições proporcionadas. 
A obra fala de preconceitos. Temos uma menina que deseja ser menino, e isso não tem nada a ver com opção sexual (desejo por outra mulher ou coisas afins). A protagonista Raquel deseja ser menino, pois sentia a inferiorização em ser mulher. Em sua visão, os meninos podem tudo, enquanto as meninas eram criadas para serem submissas. 
No caso dela, conseguir ser menino seria reforçar o preconceito de que as mulheres possuem menos valor que os homens. É uma mudança de sexo no sentido negativo, pois ela não se aceita como uma criatura feminina. Em sua visão fortemente influenciada por uma cultura machista, mulher não tem vez nesse mundo. Devemos lembrar que Raquel traz a mentalidade da década de 70. Às vezes, penso que algumas mulheres trazem tal forma errônea de pensar em seu agir no mundo atual. Isso é tão deprimente. 
Por causa de minhas impressões acerca do livro, resolvi procurar resenhas ou opiniões de mulheres sobre A Bolsa Amarela. Encontrei muitos textos. Entristeci-me, quando me dei conta de que muitas meninas se identificavam com Raquel e desejavam ser homens, pelo fato de se acharem inferiores. Eram meninas que almejavam o poder de fazer tudo, pois em sua mentalidade, somente garotos carregam a liberdade total.
E vocês? Já leram esse livro? O que acharam? Ah, o que acham desse tipo de preconceito? Conte para mim nos comentários.
Abraços e até a próxima postagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é importante para mim.
Deixe sua opinião, pois vou amar saber o que você pensa!