Sejam bem-vindos(as) e sintam-se convidados(as) a participar do blog Filósofo dos Livros com sugestões, comentários, críticas, dúvidas, compartilhamentos ou só com um “oizinho” de vez em quando!

sábado, 28 de janeiro de 2017

A Página Certa, de Laplace Cavalcanti, Ases da Literatura

Olá, Galera Literária!
Trago para vocês a resenha de um Lad Lit. O quê? Você não sabe o que é um Lad Lit? Então, vou explicar. Na realidade, muita gente não sabe. E até autores do gênero desconhecem que estão escrevendo um Lad Lit. Então, vamos para a explicação com a finalidade de aclarar nossa resenha.
Lad lit é a literatura escrita por homens, cujos personagens principais são do sexo masculino. O Lad Lit corresponde a livros com narrativas e tons bem parecidos com os de chick lits (Literatura para mulheres). Eles retratam uma grande gama de assuntos, desde trabalho, família até problemas amorosos. Às vezes, esses livros podem ter as perspectivas do ponto de vista masculino e feminino ao mesmo tempo. Este gênero ainda não é muito difundido no Brasil.
Esclarecido o conceito, podemos avançar e falar do enredo maravilhoso do livro A Página Certa, de Laplace Cavalcanti, Ases da Literatura. O autor escreveu uma narrativa em 3ª pessoa para nos falar de Renato, um empresário bonitão, mulherengo e muito convencido. Renato tem grande dificuldade em se envolver verdadeiramente com uma mulher. Até parece que ele tem fobia de relacionamentos duradouros e casamento. 
O jovem empresário é acompanhado sempre por Marcos, seu motorista. Marcos é outro cara bonitão, mas ao contrário do patrão, é muito responsável, romântico. Apesar de ser mais jovem alguns anos que Renato, Marcos cuida da vida de seu empregador. Aliás, a relação entre Renato e Marcos não se restringe a algo meramente profissional. Sentimos que Marcos cumpre a função de irmão mais velho e até mesmo de pai de Renato. 
Marcos e Renato foram criados juntos desde a infância. Marcos conhece todos os defeitos de Renato; e a partir disso, opina em todas as suas ações. Praticamente, Renato faz burradas e Marcos sempre observa para aconselhar. Para ficar mais claro, Marcos nem parece um empregado ao dirigir o carro de Renato, parece mais o irmão que acompanha o outro. Uma relação de amizade tão bonita assim deve ser destacada como ponto positivo na obra.
Em minha opinião, Marcos rouba a cena em muitas ocasiões nesse livro. Com todo seu romantismo, ele é apaixonado por leituras e fã de uma talentosa escritora chamada Cláudia. Infelizmente, o talento de Cláudia não tem o devido reconhecimento. Até sua editora duvida do potencial romântico das obras dela. Para eles, as histórias de amor de Cláudia não fazem mais sentido no mundo de hoje.
Certo dia, Marcos tem a possibilidade de conhecer Cláudia pessoalmente. O que será que isso acarretará na vida dos dois? Depois de um breve tempo, ocorre um pequeno acidente que envolve Renato, Marcos, Claudia e uma outra personagem secundária.
Um tempo antes de tudo isso, Marcos tinha feito um desafio a Renato de que ele não conseguiria fazer uma mulher realmente querer se casar com ele. Renato topou o desafio, mas não obtendo sucesso, tem a ideia de contratar Cláudia para orientá-lo, visto que ela falava do tal amor em seus livros, que ele duvidada da sua existência real.
Desse momento em diante, preparem-se para muitas surpresas com o desenrolar da trama. Risquem a palavra óbvio desse livro. O autor Laplace não é adepto de obviedades. Seus personagens bem construídos não são previsíveis. Quando a gente pensa que o personagem vai executar determinada ação, ele vem nos surpreender com algo totalmente diferente do esperado. É normal, ficarmos em dúvida entre algumas possibilidades de ações, mas as figuras do livro de Laplace nos trazem ações diferenciadas no conteúdo delas, bem como a forma de execução. Lendo a obra, vocês entenderão o que desejo dizer.
Com tantas surpresas nessa trama romântica, ficamos encantado com o estilo de escrita de Laplace Cavalcanti. Em relação ao desfecho da obra, será que Renato ganhou a aposta? Antes de chegar ao final, o leitor é presenteado com muitos questionamentos. Surgem algumas personagens femininas que dão um toque especial à historia e geram perguntas do tipo "se alguém vai terminar amarrado a outra pessoa" ou "quem vai ficar com quem". Como mencionei antes, nada é óbvio nesse enredo. Todos os personagens trazem a marca da imprevisibilidade.
Fiquei realmente satisfeito com esse delicioso Lad Lit. Pena que temos poucos autores brasileiros que se dedicam ao gênero. Para o livro A Página Certa, concedi CINCO ESTRELAS no Skoob. Clique aqui para conversar com o autor e descobrir como adquirir o seu exemplar.
Para finalizar, deixo uma perguntinha para os leitores: Será que vocês já encontraram a sua Página Certa? Se não entenderam a pergunta, terão mais um motivo para adquirir essa obra.
Espero que vocês tenham gostado dessa resenha. Deixem nos comentários as opiniões de vocês.
Abraços.

2 comentários:

  1. Maravilhosa resenha, como todas suas!!!
    Aiiiiii eu ainda não encontrei minha Página certa kkkkkk mas bem que queria uma estilo Marcos *-----------* #sonha kkkkkkkk
    Esse Lad Lit é incrível mesmo!!
    Quero continuação!!
    Já pedi pro Laplace!!
    Pede também, migo!!!
    Bjoooocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez, a página certa não foi encontrada, porque você anda lendo o livro errado. Que tal mudar o gênero literário? rs...
      Muito Obrigado pelo comentário.
      Abraços!!!

      Excluir

Seu comentário é importante para mim.
Deixe sua opinião, pois vou amar saber o que você pensa!