Sejam bem-vindos(as) e sintam-se convidados(as) a participar do blog Filósofo dos Livros com sugestões, comentários, críticas, dúvidas, compartilhamentos ou só com um “oizinho” de vez em quando!

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

A Última Dança de Chaplin, de Fabio Stassi, Editora Intrínseca

Olá, Galera Literária!
Charlie Chaplin foi um dos maiores ícones do cinema. Na obra A Última Dança de Chaplin, escrita por Fabio Stassi, temos uma ficção que se mistura a fatos reais. Antes de adentrar, no enredo do livro, cumpre realizar algumas observações sobre o autor.
Fabio Stassi é considerado um dos autores mais talentosos da Itália. Além da obra referida nessa resenha, ele escreveu três romances que foram premiados. Pelo livro A Última Dança de Chaplin, recebeu diversas honrarias.
Feitas as observações, vamos conversar sobre a obra. Nesse livro, temos duas histórias sobre Chaplin, mas que se ligam para falar de sua morte. O autor criou estilos diferentes de contar cada uma dessas histórias. As duas são divididas em capítulos que se intercalam com os capítulos da outra.
Uma história, se passa nos últimos natais de Chaplin. O protagonista está em sua casa no ano de 1971. A Morte vai visitá-lo para dizer que chegou a sua hora. Charlie Chaplin está com 82 anos e tem um filho com 9 anos de idade. O seu desejo é ver um pouco mais do crescimento de sua criança. Propõe um acordo com a Morte que consiste em fazê-la sorrir. Se ele conseguir tal proeza, ganha mais um ano de vida. Ela diz que nunca sorri e que isso é impossível. Chaplin tem seu pedido negado, mas por um gesto inesperado, conseguiu arrancar um sorriso dela. Com isso, ganhou um ano de vida e um acordo que se ele a fizesse sorrir nas noites de natal, ganharia sempre outro ano. Essa história é escrita no estilo de roteiro de filme.
Depois disso, nós temos um salto temporal. Encontramos Chaplin no Natal de 1977. A história tem formato de correspondência. Trata-se da última carta que ele escreve para seu filho que completou 15 anos. Nessa epístola, ele retrata para seu rebento fatos curiosos de sua vida desde a infância até um determinado momento de sua existência. A carta se divide em primeiro rolo, segundo rolo, etc. Como se fosse partes de um filme antigo. Então, não temos essa carta em uma narrativa única. Logo, ela é interrompida para falar de outro Natal de Chaplin que corresponde ao segundo capítulo da outra história que falamos antes. E assim prossegue o livro com essa intercalação de capítulos de duas histórias.
Não é spoiler nenhum afirmar que o final culmina com o falecimento de Chaplin. Spoiler seria contar como ele conseguiu fazer a Morte sorrir durante as noites de Natal e também fazer algumas referências aos detalhes da carta.
As duas histórias se desenvolvem de forma poética, misturando fatos reais com fictícios, conforme o que foi mencionado no princípio dessa postagem. 
A obra tem 224 páginas. Os capítulos referentes aos últimos natais de Chaplin são curtos. Os trechos da carta que foi escrita no último Natal do protagonista são mais prolongados. Isso significa que Chaplin escreveu uma carta de aproximadamente 200 páginas em uma noite única. Saber disso, fez-me desacreditar na história do livro. Não haveria condições de escrever uma carta tão grande em pouco tempo. 
Os encontros de Chaplin com a Morte não são engraçados como eu esperava. Senti uma frustração com esse fato. Acredito que essa história sobrou na obra. O autor poderia escrever apenas a carta de Chaplin para seu filho, preparando o jovem para encarar sua morte, visto que ele já tinha uma idade avançada.
Como ponto positivo no livro, destaco as curiosidades sobre a história do início do cinema e fatos sobre a vida de Chaplin. Outro ponto positivo é que fiquei com vontade de conhecer os filmes desse ator e consequentemente, já assisti alguns.
No geral, classifiquei a obra com TRÊS ESTRELAS no Skoob. Mesmo não gostando tanto do livro, creio que os fãs terão prazer de ter mais uma história sobre seu ídolo. Por isso, recomendo a obra apenas para eles ou para quem tiver interesse de conhecer curiosidades sobre a época do cinema mudo. Se você desejar comprar o livro, clique aqui.
Você pode assistir a resenha feita  em vídeo!!!


Caso você já tenha lido a obra ou pretende lê-la, deixe sua opinião nos comentários dessa resenha.
Abraços e até a próxima postagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é importante para mim.
Deixe sua opinião, pois vou amar saber o que você pensa!