Sejam bem-vindos(as) e sintam-se convidados(as) a participar do blog Filósofo dos Livros com sugestões, comentários, críticas, dúvidas, compartilhamentos ou só com um “oizinho” de vez em quando!

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Jogo da Felicidade, de Bruna Lombardi, Editora Sextante


Olá, Galera!
Acabei de concretizar a leitura de Jogo da Felicidade, de Bruna Lombardi, uma publicação da Editora Sextante. O livro comoveu-me. Desde pequeno conheço o trabalho da bela atriz e sabia de sua carreira como escritora, mas nunca tive a oportunidade de ler nada seu antes. Felizmente, uma de suas obras chegou em minhas mãos e pude ver outro talento dessa mulher fantástica.
Jogo da Felicidade é um oráculo moderno que nos fala sobre a busca de nossos sonhos. O livro se divide em 21 capítulos. Você pode lê-lo do começo ao fim, ou simplesmente abrir uma de suas página ao acaso e meditar a mensagem proposta. Escolhi a primeira opção e pude seguir uma jornada de aprendizagem. A escrita da autora não me decepcionou e muito menos, as lições aprendidas. Bruna consegue por meio de frases simples captar a profundidade de nossa existência. 
Com a leitura, é possível avaliar a vida e perceber erros, acertos e escolher novos caminhos. Li rápido, porque desejava compartilhar a resenha com vocês, entretanto pretendo fazer uma leitura mais calma para saborear e digerir melhor a sabedoria encontrada na obra. A verdade é que Jogo da Felicidade não é um livro para ler de um fôlego só. Cada frase deve ser sentida, pensada e transformada em ação de mudança. A obra abriu-me os olhos para muitas coisas sobre o meu momento atual, mesmo com essa leitura apressada. Imagino o que irei aprender a partir do momento em que reler com calma. Sinto que só virão coisas boas.
Aprendi muitas coisas e creio que cada leitor terá uma experiência única com aprendizados diferentes. Jogo da Felicidade é o livro que se renova conforme o momento existencial de cada um. Hoje, aprendi algumas lições. Amanhã, serão outras. Sinto que esse livro nunca mofa, mas traz um frescor inerente.
Com Jogo da Felicidade entendi que mesmo nascendo chorando, podemos fazer do sorriso uma grande opção de vida. A felicidade não é algo que cai do céu, mas que exige um certo empenho de luta e busca. Não podemos ficar sonhando com ela e deixar o tempo passando. Viver feliz exige ações concretas.
Torna-se necessário planejar a conquista de nossos sonhos para sermos donos de nossa história. Uma pessoa que não traça seus objetivos e planos corre o risco de viver aquilo que os outros traçarão para sua existência.
Nesse caminho, não podemos ficar apegados ao passado que não nos representa e nem a pessoas que não nos compreendem. Existem certos vampiros que sugam nossas energias e impedem as mudanças de nossas vidas. É necessário descartar esse tipo de gente.
Todos nós trazemos uma bagagem sentimental que precisa ser descartada. Devemos eliminar sentimentos e objetos que não usamos para que a mala da existência tenha espaço para novos elementos. Deixemos de lado os medos que nos paralisam e as pessoas que não nos dão valor.
Na trajetória da vida, passamos a entender o verdadeiro sentido de inteligência. Muitos acreditam que os inteligentes não erram, porém todos cometem imperfeições. Diante de uma falha, necessitamos aprender sua lição e não errar novamente. A experiência nos ensina a não se tornar vítima de uma armadilha por diversas vezes. 
Enfim, com Jogo da Felicidade aprendi que posso me realizar como ser humano pleno e que até alguns erros são acertos que demoram a acontecer, um acerto a longo prazo. Logo, o caminho é sempre perseverar na busca daquilo que faz parte de nossa essência. Estou imensamente feliz com todo o conhecimento adquirido por meio dessa obra. Aprendi muitas coisas e sei que com minha releitura aprenderei muitas outras. No Skoob, classifiquei o livro com CINCO ESTRELAS.
Se você gostou da resenha e deseja adquirir essa obra altamente recomendável, clique aqui.
Aproveite para conhecer o meu Canal Literário, basta clicar em Filósofo dos Livros.
Abraços e até a próxima postagem.

2 comentários:

  1. Bela resenha, Fernando. Fiquei curioso para ler o livro. Parece-me que é um livro para se ter na cabeceira. Aprecio os posts da Bruna na página da mesma, pois sempre trazem uma frase bacana. Aliás sou fã dessa grande atriz desde o tempo em que ela fez Grande Sertão Veredas e esteve cá em Minas para as filmagens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado. Quando ler a obra, conte-me o que achou.
      Abraços!!!

      Excluir

Seu comentário é importante para mim.
Deixe sua opinião, pois vou amar saber o que você pensa!