Sejam bem-vindos(as) e sintam-se convidados(as) a participar do blog Filósofo dos Livros com sugestões, comentários, críticas, dúvidas, compartilhamentos ou só com um “oizinho” de vez em quando!

sábado, 8 de julho de 2017

Sonho de Liberum, de Susana C. Júdice, Chiado Editora


Olá, Galera Literária!
Recentemente, recebi o contato da autora Susana C. Júdice que me ofereceu a sua obra Sonho de Liberum para resenhar. Senti-me honrado pelo convite, porque esse livro é a sua primeira obra literária publicada.
As minhas expectativas em relação a Sonho de Liberum eram bem altas. Pois li a resenha de outra blogueira no Skoob e muitos elogios foram feitos. Diante de uma resenha tão bem feita, mantive uma atitude de respeito.
Ao receber o livro, pude observar o trabalho primoroso da Chiado Editora. Aliás, já tive a honra de resenhar outras obras dessa editora. Quem acompanha meu blog e meu canal sabe disso. Todos os livros recebidos tiveram um excelente tratamento gráfico.
Comecei a ler Sonho de Liberum. As primeiras páginas me cativaram. A forma de escrever da autora me pareceu bem interessante. Entretanto com o decorrer da trama, o enredo tornou-se um tanto repetitivo. Os elementos fantásticos estavam muito parecidos com os encontrados em outros livros do gênero fantasia. Faltou um certo toque de originalidade nas ideias ou pelo menos na forma de descrever. Já li obras onde alguns clichês foram descrito de maneira diferente que adquiriam aparência de originais.
A personagem Gweniver que me parecia tão promissora tornou-se uma figura monótona que deixou minha leitura enfadonha. Por causa disso, senti uma espécia de tristeza. Deparei-me com um desafio que em nada me agradou. Esse foi o primeiro livro recebido em parceria que não me prendeu a atenção.
Tive o desejo de não resenhá-lo para não ferir os sentimentos da autora. Tentei fugir dessa obrigação. Acompanhei muitos autores em sua jornada e sei o quanto eles amam seus livros. A relação de um autor e uma autora com sua obra é semelhante àquela que uma pai e uma mãe tem com seu filho.
Intencionei em não comentar que Sonho de Liberum não me agradou. Inclusive em contato por e-mail com a autora, tentei jogar a culpa em mim por não gostar do livro. Comentei sobre problemas de ordem pessoal (que realmente ocorreram) e que isso atrasaria a entrega da resenha, mas isso não era a verdadeira questão. Houve até um momento em que acreditei em minha própria mentira, mas fui envolvido pela trama e os meus problemas ficavam esquecidos.
Segundo a obra Farmácia Literária, de Ella Berthoud e Susan Elderkin, publicação da Verus Editora, os livros podem nos curar e nos arrebatar de nossa realidade sofrida. Eu acredito nisso, todavia Sonho de Liberum não exerceu tal poder sobre mim. E mesmo que elementos fantásticos não me trouxessem prazer, tive a esperança de que o romance pudesse me trazer alguma espécie de atrativo. 
Diante do momento, sinto-me frustrado por não gostar do livro e não poder tecer elogios a ele. Mas também não posso pensar somente na situação da autora, pois tenho um público de leitores que me acompanham. Sei que o ato de gostar ou não de uma obra é algo subjetivo e que ISSO NÃO É GARANTIA DE QUE O LIVRO SEJA BOM OU RUIM. Entretanto, não posso fingir que gostei de algo. Tenho que ser verdadeiro, até mesmo pensando na possibilidade de estar a frente de uma grande obra literária e equivocar-me em minha análise.
Mesmo com toda frustração, futuramente pretendo dar outra chance à obra. Quem sabe, eu possa mudar de opinião. Por enquanto, classifico o livro com DUAS ESTRELAS no Skoob.
Se por acaso, eu venha ferir alguém com esse texto, peço desculpas, mas não posso abrir mão da SINCERIDADE. 
Abraços e até a próxima postagem.

4 comentários:

  1. Oi, Fernando! Que pena que você não tenha se envolvido com a obra. Não é tarefa fácil resenhar um livro que não tenha agradado. Pode parecer fácil, mas é exatamente o contrário. A análise torna-se difícil de ser feita, pois a mesma têm de ser elaborada de forma que não denigra a imagem do autor(a). A sua resenha apesar de negativa, a mesma ficou excelente. Parabéns meu amigo pela sinceridade de sua análise. Abração!

    ResponderExcluir
  2. Oi Fernando,
    de todo meu coração lhe dou meus parabéns, pelo respeito, sinceridade e dignidade ao resenhar este livro.
    Cada leitor tem uma opinião e visão diferente, o que é super comum, apesar de muitos autores não compreenderem isso.
    Parabéns por ter sido sincero com os seus leitores, e ter dado a sua opinião mais sincera e verdadeira, pois é justamente isso, que nós queremos de você ao visitar seu blog.
    Abraços,
    Ana

    ResponderExcluir

Seu comentário é importante para mim.
Deixe sua opinião, pois vou amar saber o que você pensa!